O ano do E-commerce brasileiro

Após dois anos apresentando expansão moderada – 9,23% em 2016 e 12,5% em 2017 – entre 2018 e 2019 obteve seu maior crescimento desde o ano de 2014, com um aumento de 37,59% na quantidade de lojas online. São mais de 900 mil e-commerces, sendo que aproximadamente 60% delas operam em plataformas fechadas, muitas vezes gratuitas.

Embora a procura por opções gratuitas ou baratas seja grande, por outro lado é notório que dentre as empresas pesquisadas, quase 8% tem um faturamento superior a R$ 100 milhões, com mais de 500 mil visitas por mês.

Outro fator que demonstra evolução na oferta de produtos é o fato das lojas estarem oferecendo produtos mais caros em suas vitrines. Possivelmente visando um ticket médio maior, as lojas online têm dado destaque a produtos acima de R$ 100, aumentando a participação da faixa de R$100 a R$ 500 em 5%, ficando em 11,30%.

Desde 2014 os principais acontecimentos no setor de e-commerce brasileiro são monitorados pela série Perfil do E-Commerce Brasileiro, uma parceria entre PayPal e BigData Corp. Veja a seguir as estatísticas mais interessantes levantadas pela pesquisa:

  • Pouco mais da metade das lojas online (50,28%) já oferecem a opção de carteiras virtuais. Presença que vem crescendo desde 2015, quando apareciam em apenas 38,09% dos e-commerces. 
  • O e-commerce aumentou em quase três vezes sua participação no total de sites brasileiros desde o primeiro ano da pesquisa. Foi de 2,65% para 7,04%, demonstrando ascendente relevância.
  • Lojas com até 10 mil visitas por mês, considerados pequenas, hoje são a grande maioria, aumentando de 82,48% para 88,77% sua participação, com a entrada de mais de 250 mil novas entradas no último ano. Por sua vez os sites médios (10 mil a 500 mil visitas/mês) reduziram em 7% sua participação indo de 9,99% para 2,58%.
  • A grande maioria dos comércios eletrônicos brasileiros (73,66%) possuem um catálogo entre 1 e 10 produtos, percentual bem superior ao ano passado quando representavam 57,99% do total. Esse número foi impactado bastante por sites estreantes que tem a tendência de começar com poucos produtos. Como consequência a participação de sites com catálogos com mais de 100 produtos caiu bastante, indo de 33,51% para 13,92%.
  • A presença nas redes sociais caiu para 65,02% nos últimos 12 meses. Essa forte redução se deve a entrada de novas lojas desde 2018 quando mais de 80% estavam associadas a alguma rede social. Facebook reduziu sua presença de 71,02% para 54,24%, Twitter de 43,87% para 33,18%. Em contrapartida o Pinterest que antes não figurava no monitoramento obteve 6,57% de participação.
  • Outro dado extremamente positivo é o tempo médio de vida de um e-commerce que aumentou de 94 dias há quatro anos, para 487 dias em média, mostrando a perseverança dos empreendedores.
  • Embora apresente diversos números positivos, o e-commerce no Brasil ainda possui alguns reveses. Cerca de 25% das lojas online já sofreu pelo menos um processo judicial movido por consumidor. Essa dado mostra que ainda é preciso evoluir no atendimento ao cliente.
  • Outro ponto que ainda carece atenção dos empreendedores é a acessibilidade. Métrica que entrou como novidade em 2019, mostrou que apenas 0.02% dos sites permitem o acesso de pessoas com desafios visuais ou auditivos sem quaisquer problema.

Thoran Rodrigues, CEO e fundador da BigData Corp. afirma – “O e-commerce passou dois anos com taxas de crescimento mais modestas. A crise fez com que muitas iniciativas fossem adiadas. O que vemos hoje, no entanto, é que tudo o que foi represado no passado desaguou com força entre 2018 e 2019. O e-commerce, mais uma vez, está sendo uma opção para quem quer empreender no País”.

Thiago Chueiri, diretor de Desenvolvimento de Negócios do PayPal Brasil complementa – “A explosão no número de lojas online no País reflete a boa perspectiva do e-commerce e o perfil empreendedor do brasileiro mesmo frente a cenários econômicos não tão promissores. E é nesse momento que a escolha por ferramentas certas faz toda a diferença para o sucesso e o crescimento de um negócio. Por isso também assistimos ao crescimento das carteiras digitais como meios de pagamento dessas lojas virtuais. Alinhado a essas tendências, o PayPal oferece soluções específicas para cada tipo de negócio a fim de contribuir para o desenvolvimento do mercado de e-commerce como um todo e com a excelência da experiência do usuário – calcada em rapidez, conveniência e segurança”. 

A série Perfil do E-Commerce Brasileiro usa o processo de captura de dados da internet da BigData Corp., o qual prevê o processamento de mais de 10 petabytes semanalmente, extraídos de visitas a mais 23 milhões de sites brasileiros, dos quais são obtidos informações estruturadas e seus links.

Site:: http://www.bigdatacorp.com.br

Quer começar o seu e-commerce GRATUITAMENTE

 Clique AGORA no banner abaixo e faça o seu cadastro com 15 dias grátis para testar!

Precisa de ajuda? Escreva para: contato@marcusrosa.com.br

Crie sua loja virtual na Nuvem Shop
Deixe seu comentário

Veja também